SELECIONE SUA REGIÃO E IDIOMA

UNITED STATES
English
LATIN AMERICA
Español
Português
AUSTRALIA &
NEW ZEALAND

English
JAPAN
Japanese
ASIA PACIFIC
English

FECHAR
O fascínio do Monte Roraima

O fascínio do Monte Roraima

Categories

Conhecer o Monte Roraima é uma experiência diferente, mesmo para quem já pratica trekking. É muito mais do que apenas caminhar e acampar, é vivenciar o inesperado, é presentear os olhos com paisagens que parecem ter saído de contos pré-históricos, é saborear uma cultura que luta para manter suas tradições, é sentir o cheiro da terra árida da savana que tem suas entranhas invadidas pela úmida Floresta Amazônica, é tatear um céu de estrelas que bailam ao redor da lua, tingindo de azul o paredão dos gigantes Tepuys.

Bom, eu sou tão apaixonada que tenho até uma tatuagem deste gigante no braço. Já tive a oportunidade de pisar em seu cume dezenas de vezes e guiar centenas de pessoas que assim como eu voltam fascinadas... Então agora vem embarcar comigo neste mundo incrível!



LOCALIZAÇÃO

Tríplice fronteira [Brasil (05%), Venezuela (85%) e Guiana (10%)

Altitude Máxima: 2.875 metros (Pedra Maverik)

Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO

Parque Nacional Canaima Parque Nacional do Monte Roraima


MELHOR ÉPOCA

O clima no Monte Roraima é muito instável. Costumo dizer que, mesmo nas melhores épocas, é comum pegar pelo menos um dia de chuva, o que não tira a graça do lugar, pois são nestes dias que surgem várias quedas d’água, que brotam magicamente das paredes rochosas. Em geral, a época mais seca vai do final de setembro à início de abril, porém pode-se visitar o monte Roraima durante o ano todo. O Reveillon é o período do ano que o monte Roraima recebe mais turistas, portanto, se quer fugir de uma grande quantidade de pessoas não vá nesta época. Para o trekking ao Monte Roraima existe um controle de entrada, mesmo na época com mais movimento não tem risco de ficar sem local para acampamento.



UM POUCO MAIS SOBRE O MONTE RORAIMA:

O Monte Roraima é uma das formações mais antigas do planeta, de quando os continentes ainda estavam juntos, é a maior montanha plana do mundo. Sua formação é chamada de Tepui, e o Roraima é um dos mais altos e largos tepuys, a aproximadamente 2700m, com seu pico a 2810m (Maverick). Possui cerca de 31 quilômetros quadrados.
O Monte Roraima foi “descoberto” pelos europeus em 1595 durante a colonização espanhola e britânica na região. A partir de então, muitos aventureiros, pesquisadores e estudiosos passaram a tentar escalá-lo. Depois de inúmeras tentativas frustradas a montanha era considerada por muitos como inacessível.
A primeira ascensão foi somente em 1884 por uma expedição britânica chefiada por Everard Ferdinand im Thurm, patrocinada pela Royal Geographical Society. O desenvolvimento turístico na região foi intensificado somente a partir de 1980.

CURIOSIDADES MONTE RORAIMA

Listei algumas curiosidades interessantes sobre este lugar... Vamos lá!

1 Significado da palavra Roraima:
Foi o Monte Roraima que deu origem ao nome do Estado de Roraima, e não ao contrário como muitos pensam. O nome vem da língua Pemon (indígenas do Sul da Venezuela), a partir da expressão RORO (verde azulado) e IMA (grande), significando “A Grande montanha Azulada”, cor que predomina em seu imenso paredão dependendo da posição do Sol.

2: Já foi cenário de novela
Em 2014, o Monte Roraima foi “cenário” da novela Império, exibida pela rede Globo, onde o personagem Comendador, protagonizado por Alexandre Nero, descobriu o “Diamante Rosa” no Roraima, porém, no topo do Roraima não existem diamantes e o que muitos desconhecem é que as cenas foram gravadas na cidade mineira de Carrancas e NÃO no monte Roraima.

3: Mundo Perdido X Jurassic Park
O Monte Roraima foi fonte de inspiração ao criador do famoso detetive Sherlock Holmes. Arthur Conan Doyle, que em 1912 escreveu “O Mundo Perdido”, um mundo repleto de mistérios e habitado por criaturas pré históricas e que mais tarde, inspirou a ficção Jurassic Park, dirigida por Steven Spielberg.

4: Up Altas Aventuras
Esta animação da Disney/Pixar, que conquistou o coração de muitos, conta a história de Sr. Carl Fredericksen, que tem como meta mudar-se para o paraíso das cachoeiras e assim realizar o sonho de sua falecida esposa Ellie. Ele conta com a ajuda de um atrapalhado escoteiro, o Russel, que ama a natureza e fica amigo do cachorro Dug e da gigante ave Kevin (Naceja). Quando os produtores conheceram a região do Monte Roraima decidiram! Era o lugar ideal para ilustrar esta grande aventura, inspirando-se nos Tepuys da região e seus mistérios, como o Salto Angel no lado venezuelano

5: Brasileiros que conquistaram o Monte Roraima escalando
Em 2010 foi a primeira vez que 03 brasileiros escalaram o Monte Roraima. ELISEU FRECHOU, MARCIO BRUNO DE OLIVEIRA e FERNANDO LEAL escalaram a parede de 650 metros em 12 dias, pendurado na montanha, sendo quatro dias deles imóveis, debaixo de uma chuva torrencial. A via, muito apropriadamente, recebeu o nome de “Via de luz e trevas”. Eles carregaram aproximadamente 150 kg de material, incluindo 200 metros de corda, equipamentos e 50 litros de água. O feito do trio virou um filme, o curta metragem “Dias de Tempestade”, indicado por qualquer amante de adrenalina.

6: O Monte Roraima é Sagrado
Inserido em território indígena, o Monte Roraima é considerado uma montanha sagrada. Por concentrar as nascentes de vários rios da região, o Monte Roraima é conhecido como a "Mãe das águas" pelo povo de etnia Pemon. Para eles, se a água é o sangue do mundo, então o Monte Roraima seria o Coração. Já para os índios Macuxis, o Roraima é a terra de Makunaima, entidade sagrada repleto de lendas.

7: Se gritar no Monte Roraima pode chover
Um aspecto importante para a população indígena local é o respeito pela montanha. Eles acreditam que quando os pajés morrem se transformam em cristais e habitam o topo do Roraima, por isso quando alguém grita em seu topo provoca tempo nublado e chuva, por incomodarem os espíritos destes Pajés, por isso, contenha-se!

8: Existem hotéis no Topo do Monte Roraima?
Sim e não! Na verdade os nativos chamam de hotéis as formações das grutas utilizadas como acampamento! O acampamento no cume só é permitido nestes “hotéis”, que protegem das chuvas e ventos no topo. São eles: Hotel Uno, Hotel Índio, Hotel Principal, Hotel São Francisco, Hotel Secre, Hotel Maverick, Hotel Guacharo, Hotel Basilio, Hotel Jacuzzi, Hotel Bolivar, Hotel Arabopo, Hotel Arenal. E do lado Brasileiro: Hotel Quati.


9: Incêndios no Roraima
Os incêndios provocados pelos índios Pemons são uma forma de celebração depois de uma caça bem sucedida, mas também usado como controle ambiental. Ainda é um costume Pemon atear fogo na savana na estação seca. Infelizmente com os fortes ventos esses incêndios saem do controle, espalhando – se. Em 1925, houve um enorme incêndio que engoliu e destruiu grande parte das encostas florestadas do Monte Roraima e queimou tão ferozmente que avançou até a plataforma de subida até o cume.  Os esqueletos de algumas árvores que existiam antes do grande fogo ainda podem ser vistos da trilha em muitas áreas. Além disso, com a vegetação extremamente seca da savana, é comum incêndios provocados por turistas descuidados.

10: O Monte Roraima é o 7° ponto mais alto do Brasil.
Com o ponto mais alto (do lado brasileiro) à 2734mts, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, ele é considerado o 7° ponto mais alto do Brasil.

11: Alienígenas no Monte
A Nasa já esteve presente com equipes especialistas no topo do Monte Roraima para investigação sobre micróbios encontrados nas paredes das grutas que poderiam trazer pistas sobre a vida noutros planetas.

12: Marechal Rondon e o Monte Roraima
Em 1927, o sertanista marechal Rondon esteve no Monte Roraima durante a Inspeção para Demarcação de Fronteira. Porem, o verdadeiro Ponto Triplo, como agora sabemos, foi estabelecido em 1935.
“Partimos para escalar o Roraima a 29 de outubro de 1927, depois da refeição da manhã, tendo a vanguarda ordem de nos esperar para o almoço… Atingimos o último grande degrau do considerável maciço. Penetramos pelas galerias formadas por imensos blocos de arenitos. O vento e a umidade neles haviam esculpido formas caprichosas de castelos em ruína, de fantásticos animais antediluvianos… achamos um mundo perdido”. (Marechal Rondon – 29.10.1927)


O TREKKING :

Existem muitos tipos de roteiros que podem variar de 06 a 09 dias (os mais comuns). Os mais longos chegam até a Proa, ponto mais ao norte do Monte Roraima, e mais distante, sendo necessário deslocar todo o acampamento lá no alto. O trekking não exige experiência, e apesar das longas distâncias não é difícil.
O dia mais exigente é quando se faz o “ataque ao cume” por uma espécie de rampa com o desnível bem acentuado. Como toda a Expedição, é necessário que o participante esteja com um bom preparo físico, e ter experiência com acampamento também pode tornar as noites mais agradáveis.

Mesmo o caminho até o topo sendo bem demarcado, é obrigatória a contratação de guias locais. Já no topo a navegação pode ser bem complicada, principalmente com pouca visibilidade (o que sempre ocorre por conta da densa neblina muito comum no Roraima).
Por isso planeje com antecedência, e claro, se vier em um dos meus grupos ficarei muito feliz!
Ah, não se esqueçam de levar o SPOT, durante o trekking, em nenhum ponto, tem sinal de celular, então esteja sempre #ProntoParaAventura.

COMO CHEGAR:

O melhor ponto de partida para quem pretende chegar ao Monte Roraima é Boa Vista, capital do Estado do Roraima.
Boa Vista é uma capital muito bem organizada e planejada, sendo a única capital brasileira acima da linha do Equador, o que explica o calor que faz que faz por lá. Caso você tenha tempo vale à pena passar um ou dois dias por lá! Localizada na margem direita do Rio Branco, a orla Taumanan conta com uma espécie de plataforma com bares e restaurantes na margem. Para visitar tem também a Praça das Águas, o Portal do Milenio, o Centro de Artesanato e Cultura, além dos passeios de barco até a outra margem do Rio Branco, onde fica a praia Grande. Um pouco mais afastado tem o Lago do Robertinho, considerado a Jericoacoara do Roraima e a Serra do Tepekém com muitas trilhas e cachoeiras.


 A partir de Boa Vista é necessário chegar à fronteira com a Venezuela, na cidade de Pacaraima. O percurso é de aproximadamente 240km e algumas agências incluem este transfer em seus pacotes, caso contrário, a melhor opção é pegar um taxi.

Da Fronteira até Santa Elena, já na Venezuela, são mais 15 minutos. De Santa Elena é necessário chegar à aldeia de Paraitepuy. Este percurso é feito em veículo 4X4 e é lá que se inicia a caminhada após os devidos registros no INPARQUES.

Ficou com vontade de conhecer este lugar incrível? Fiquem atentos pois até este momento a fronteira com a Venezuela permanece fechada devido ao Covid, mas já coloque na sua listinha de desejos para fazer assim que possível!
 
Laila Mantra
Guia e fundadora da Mantra Adventure.